Jornalista Tiago Loureiro Aponta os favoritos ao título e os candidatos ao rebaixamento no campeonato Paraibano

08/01/2018
tiago

O Campeonato Paraibano de Futebol começou no último domingo (7) e de forma bem pontual, o comentarista esportivo aponta o que espera de cada clube na competição.

 

         Indo “Direto ao Ponto”:

 

– Atlético de Cajazeiras (briga pelo título);

– Auto Esporte (briga para se manter);

– Botafogo (briga pelo título);

– Campinense (briga pelo título);

– CSP (briga para se manter);

– Desportiva (briga para se manter);

– Nacional (briga para se manter);

– Serrano: (pode surpreender);

– Sousa: (pode chegar às semifinais);

– Treze: (briga pelo título).

* Atlético de Cajazeiras: time que está investido alto, tem no comando técnico um treinador (Índio Ferreira) que já mostrou bons trabalhos no Auto Esporte, Internacional e Sousa. O elenco é formado por bons jogadores, vindos em sua maioria do futebol paulista, onde, no ano passado, vários deles, jogaram juntos no próprio Atlético. O fator casa é um ponto positivo para o “Trovão”, pois a torcida lota o “Perpetão”. Mas a inexperiência de alguns atletas pode comprometer;

 * Auto Esporte: tem tradição, baixo investimento e formou uma base com jogadores do São Paulo Crystal, time da segunda divisão do Campeonato Paraibano (o que pode não ser bom). Apostava em mandar os seus jogos na cidade de Cruz do Espírito Santo, porém, com o veto ao estádio “Carneirão”, terá que mandar suas partidas no enorme estádio “Almeidão”, ou seja, talvez em Cruz do Espírito Santo o fator “casa” pudesse surtir um maior diferencial favorável ao “Macaco”. Apesar da parceria com um clube da ‘série B’ do estadual, não se pode negar que, o entrosamento entre jogadores, possa ser algo que venha dá certo;

* Botafogo: é o atual campeão e o time de maior investimento e estrutura do campeonato, isso por si só, já gera um “favoritismo” antecipado por parte de muitos e, também, uma enorme cobrança por bons resultados pela torcida e imprensa. Formou um time com jogadores técnicos e alguns renomados, terá no seu grande número de torcedores um aliado. Entretanto, o “Belo” deixou a desejar nos amistosos da pré-temporada e terá que disputar outras duas competições em paralelo ao estadual, o que pode atrapalhar;

* Campinense: dos três maiores, é o que menos aposto. Tem um bom treinador (Celso Teixeira) e uma grande torcida, isso pode ser um fator positivo ao longo da jornada, como também o fato de que, diferente dos seus rivais (Botafogo e Treze), pode focar suas atenções apenas no campeonato local. Porém, investiu em muitos jogadores acima de 30 anos de idade, tem um time “envelhecido”, o que pode atrapalhar ao longo das sequências de jogos e viagens, outro fator que pode atrapalhar a “Raposa” é: o temperamento extremamente forte do seu treinador;

* CSP: é sempre uma incógnita; time entrosado, pois vire e mexe, são sempre os mesmos jogadores no elenco. O entrosamento pode ser um fator que contribua para uma boa campanha, porém, sempre que o “Tigre” é chamado para uma “decisão”; peca, e acaba se apequenando. As interferências do dono do time junto à comissão técnica pode ser algo negativo na campanha do ‘time azul da capital';

* Desportiva: talvez, o clube de menor investimento da competição, teria um forte fator em seu favor se – o estádio “Sílvio Porto” não tivesse sido vetado pela Comissão de Prevenção e Combate a Violência nos Estádios da Paraíba (ainda há possibilidade do estádio ser liberado em rodadas futuras). O fato de mandar seus jogos fora de Guarabira e o pouco investimento; me fazem afirmar que a tradicional Desportiva irá brigar para não cair;

* Nacional: tradicional, dono de uma das maiores torcidas do estado, passou muito tempo afastado da primeira divisão. Vai ter como principal fator favorável: a sua torcida. Contudo, o “Canário” foi um dos últimos a começar os trabalhos de preparação para a competição e não tem, como alguns rivais, um forte poder de investimento;

* Serrano: não é mais aquele time saco de pancadas da década de 1990 e começo dos anos 2000; nem é mais da pequena cidade de Serra Redonda. Atualmente, o “Lobo” é de Campina Grande e tem uma estrutura de causar inveja à alguns. Investe na base, inclusive nesse aspecto, é hoje o que melhor representa a “Rainha da Borborema”. Investiu em jogadores jovens e alguns experientes, pode ser uma das boas surpresas da competição, no entanto, não tem torcida. Isso, acaba sempre deixando, o adversário mais à vontade e, se sentindo, em campo neutro quando for jogar no “Amigão”, estádio em que o Grêmio Serrano mandará os seus jogos;

 * Sousa: é sempre temido pelos adversários, está, com raras exceções, brigando até o final por classificações e até mesmo títulos. Porém, no ano passado, deixou a desejar em termo de campanha. Considero o “Dinossauro” como um time que merece respeito e atenção por parte dos adversários do estadual, mas não enxergo o atual elenco com forças para chegar na final do Campeonato Paraibano. O fator “casa” costuma ser um ponto forte para o time sousense, mas talvez, a atual situação do gramado do estádio “Marizão” possa atrapalhar até o time da casa.

* Treze: considero que ao lado do Botafogo, é favorito ao título: apesar da pré-temporada bem ruim, o “Galo” conseguiu montar um bom elenco, com jogadores experientes e conhecidos em sua maioria, pela boa qualidade técnica. Caso passe pelo Cordino do Maranhão na fase de pré-Copa do Nordeste, o time terá que dividir sua atenção entre três competições; estadual, Copa do NE e Copa do Brasil. Terá na torcida um forte aliado nos jogos em casa, mas a sua comissão técnica terá uma dura missão: fazer que Marcelinho Paraíba jogue para o time e não o time jogue para Marcelinho.

Tiago Loureiro é jornalista e radialista, atualmente é comentarista esportivo e apresentador na Rádio CBN João Pessoa.

Notícias relacionadas...

Mais notícias

Nossos Anunciantes