Cabo Sérgio Rafael volta à Assembleia Legislativa para reforçar o grito que ecoa no país inteiro

09/10/2017
qap

O deputado Cabo Sérgio Rafael vai voltar a ocupar uma cadeira na Assembléia Legislativa da Paraíba, com o afastamento temporário do deputado Tião Gomes, que irá tirar uma licença sem vencimentos. Sérgio deverá permanecer no lugar de Tião até fevereiro de 2018.

A volta de Sérgio Rafael ao Poder Legislativo, ainda que com prazo insuficiente para atender a tantas demandas, reforça o coro dos parlamentares que, por sua vivência profissional, têm, naturalmente, uma visão mais aproximadamente do que há tempos o Ministério da Justiça classifica como “a maior preocupação do povo brasileiro”: a violência nas ruas.

Não é à toa que vários estados têm conduzido às suas casas legislativas e ao próprio Congresso Nacional profissionais da Segurança Pública.  Em muitos casos, é bom frisar, essa condução por meio do voto tem acontecido com o apoio – crucial – de quem também usa fardas e/ou distintivos nessa incalculável batalha diária, que é combater o avanço do crime no Brasil.

São milhares de pessoas dia após dia no front, morrendo e matando, à espera de que um quadro nacional mais justo com esse ‘batalhão’ não seja possível apenas para as futuras e longínquas gerações. Não é justo. É preciso ocupar os recantos mais decisivos do poder hoje, para que esse ‘amanhã’ não se torne invisível.

Pelo menos em outros estados, oficias e praças da Polícia Militar engrossam as fileiras com delegados e agentes das polícias Civil e Federal, dando sua contribuição sobre o que pode e deve ser feito para aliviar o temor número 1 do povo brasileiro. Os rostos no detalhe da imagem acima são apenas alguns dos mais conhecidos nacionalmente.

Pode pesquisar: as medidas mais urgentes a serem adotadas para ao menos frear essa violência nacional partem de parlamentares que vivenciam o problema ‘na pele’. É natural. O mesmo pode ser dito com os médicos quando o assunto é Saúde; ou com os professores quando o debate é Educação.

Só a título de exemplo, o filme que se consagrou a maior bilheteira do cinema nacional em 2010 -Tropa de elite 2 – não seria o mesmo sem os fieis relatos de suas fontes inspiradores: os policiais. O renomado médico Dráuzio Varella não escreveria com tanta propriedade sobre o sistema prisional, não fossem os seus mais de 20 anos dedicados a atendimento voluntário nos corredores contaminados do extinto Carandiru.

Cabo Sérgio Rafael volta ao desafio de, em tão pouco tempo, ecoar um grito cuja importância já está sendo bem assimilada pela população de outros estados. A ‘guerra’ contra a violência vai muito além de um tiroteio em via pública.

É preciso ocupar os espaços onde tudo pode – e deve – mudar.

Fonte: portal paraibaemqap.com. br

Notícias relacionadas...

Mais notícias

Nossos Anunciantes