A persistência nordestina

18/09/2017
Os empresários Sergio e George Henriques Crispim homenageados com a Medalha do Mérito Chico Landi.
Os empresários Sergio e George Henriques Crispim homenageados com a Medalha do Mérito Chico Landi.

“Olá, Amigos do site Nobres do Grid.

Além do sol forte e do calor que acompanham a vida do nordestino, a sua determinação é marca de um povo acostumado a ter de superar as adversidades. Sem dar espaço para o lamento, o nordestino sabe valorizar o sabor dos frutos cultivados em uma terra árida, mas que quando adequadamente tratada lhe dá o sustento.

Em julho deste ano o país acompanhou (ou deveria ter acompanhado) a realização da 51ª edição do Campeonato Brasileiro de Kart, disputado na Paraíba. Após um conturbado campeonato em 2013, realizado no já não existente kartódromo do Eusébio, no Ceará, onde o asfalto se esfacelava diante da tração dos potentes karts no pavimento novo, o temor de algo semelhante pairava como uma nuvem pesada, mas desta vez os paraibanos deram uma lição de profissionalismo.

Foram duas semanas de disputas envolvendo 268 pilotos das cinco regiões do país realizadas no kartódromo Paladino, na cidade do Conde (PB), a mais nova pista com a homologação internacional (FIA). Tamanho foi o êxito da competição no Paladino que a Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), por meio do presidente Cleyton Pinteiro, decidiu homenagear o empresários que investiram na construção Kartódromo Paladino, Sérgio Crispim George Henriques com a outorga da Medalha Chico Landi (*) pela construção do Kartódromo. Honraria só será outorgada a vinte personalidades que contribuíram para o engrandecimento do Automobilismo Brasileiro, e Crispim passa a ser um destes agraciados.

Durante as duas semanas de competição, esses guerreiros modernos e suas máquinas maravilhosas compartilharam uma gama de emoções. Tristezas e alegrias eram registradas a cada passagem dos karts pela descida da reta principal da nova pista. Essa edição do Brasileiro de Kart representa o começo de um novo momento para o kartismo nacional, que mesmo diante de um momento difícil no cenário político e econômico atravessado no país, consegue mostrar um novo palco para futuros eventos de grande porte.

Enquanto o Ceará, terra do tetracampeão Marcus Vinicius Kinho, destrói sua pista, em solo paraibano é plantada a semente para uma futura colheita de novos campeões. Parabéns paraibanos! Vocês escreveram um novo capítulo na História do Automobilismo Brasileiro.

O Cearense Marcos 'Kinho' Vinicius mostrou que na categoria F4 ele continua sendo o homem a ser batido.

O Cearense Marcos ‘Kinho’ Vinicius mostrou que na categoria F4 ele continua sendo o homem a ser batido.

Pernambuco também saiu vitorioso da 51ª edição do Campeonato Brasileiro de Kart, com Kiko Porto, na categoria Júnior Menor e com Fabrício Filho na categoria Mirim. Já havia se passado muito tempo desde o último êxito conquistado. Além disso, na categoria onde o cearense Kinho é dominante, o vice campeonato ficou com o sergipano Gabriel Oliveira.

A 51ª revelou 14 campeões em 14 categorias: Júnior Menor – Kiko Porto, Júnior – Vinícius Ponce, Cadete – Gabriel Gomez, Mirim – Fabrício Filho, Sudam – Pedro Goulart, F4 Sênior – Abel Reigada, Novatos – Pietro Guglielmi, F4 Graduados – Marcus Vinícius Kinho, F4 Super Sênior – Luiz Pinheiro, Graduados – Olin Galli, Sênior A – Rodrigo Soares, Sênior B – Matheus da Costa, Super Sênior – Maique Papareli, Shifter – Gaetano Di Mauro.

 O Cearense Marcos 'Kinho' Vinicius mostrou que na categoria F4 ele continua sendo o homem a ser batido.

O Cearense Marcos ‘Kinho’ Vinicius mostrou que na categoria F4 ele continua sendo o homem a ser batido.

Além de Sérgio Crispim, outro nordestino escreveu com letra forte seu nome, de forma definitiva, na História do Automobilismo Brasileiro. Me refiro ao cearense Marcus Vinícius Kinho, que conquistou seu quarto título seguido, o tetracampeonato. Em um estado onde empresários míopes não enxergam o potencial de uma pista de kart com possibilidade de obter lucros, Kinho tem que se preparar longe de sua terra, mas não desanima e não espera tempo ruim.

Kinho mostra que é o melhor piloto do Brasil na categoria F4 e, de forma dominadora, conquistou seu quarto título consecutivo em categorias que usam os motores quatro tempos. O primeiro título brasileiro de Kinho foi conquistado em 2013, no Eusébio (CE), quando venceu na Super F4. Em 2014, em Itu (SP), conquistou a F4. Em 2015, em Nova Santa Rita (RS), foi o vencedor da Super F4, e, na tarde do dia 15 de julho, um sábado, na cidade do Conde (PB), no Kartódromo Paladino, de forma dominadora, venceu a final da F4 Graduados colocando uma vantagem de 5,705s em relação ao segundo colocado.

O Kartódromo de Paladino, no interior da Paraíba, foi construído dentro dos mais rigorosos padrões de segurança.

O Kartódromo de Paladino, no interior da Paraíba, foi construído dentro dos mais rigorosos padrões de segurança.

*Quem foi Chico Landi: Francisco Sacco Landi – Chico Landi nasceu em São Paulo (SP) em 14 de julho de 1907 e morreu, também em São Paulo no dia sete de junho de 1989 aos 81 anos. Considerado um dos maiores e mais importantes pilotos de Automobilismo Brasileiro. Pioneiro, Landi ficou famoso pelas corridas no Circuito da Gávea, no Rio de Janeiro, no ano de 1934. E foi o primeiro brasileiro as correr na categoria que deu início a que é hoje a Fórmula Um, na qual venceu o GP de Bari em 1948.

Até a próxima.

Grande abraço para todos.

 

Roberio Lessa”

Matéria Publicada em 18/08/2016. Pelo site: Nobresdogrid.com.br

Notícias relacionadas...

Mais notícias

Nossos Anunciantes