As cartolas: como as mulheres dirigentes têm transformado o futebol

11/06/2020
Presidente do Brasiliense Futebol Clube. Brasília(DF), 08/05/20

A presença de mulheres em cargos diretivos ainda é rara nos clubes de futebol masculino do Brasil. Levantamento do Metrópoles mostra que o esporte é dominado por homens: nos 128 times das quatro divisões nacionais, apenas seis mulheres ocupam funções de presidente, vice-presidente, diretora e gerente, ou seja, trabalhos com poder de decisão. A conquista de espaço por cartolas do sexo feminino no país avança a passos lentos. Porém, as transformações protagonizadas por elas têm surtido efeitos imediatos, causado reviravoltas positivas e, assim, recolocando clubes no caminho da vitória.

“Trouxemos de volta o sentimento de família que se perdeu ao longo dos anos. Além disso, voltamos ao Estádio Serejão [em Taguatinga], para perto da nossa torcida”, elenca a vice-presidente e diretora de futebol do Brasiliense, Luiza Estevão. A dirigente representa um divisor de águas nas quase duas décadas de história do clube.

Isso porque, a partir da chegada dela ao Jacaré, em 2017, o time encerrou um hiato de três anos sem chegar à final do Campeonato Candango. Desde então, disputou as últimas três decisões, vencendo uma (2017). “Estávamos em crise e a responsabilidade caiu em cima de mim, por ser a filha que mais ama futebol”, relembra Luiza, caçula dos seis herdeiros do ex-senador da República Luiz Estevão, fundador do Jacaré.

Além disso, o Brasiliense voltou a atuar no Serejão, local que não sediou jogos do clube entre 2015 e 2018 por falta de laudos de segurança. Como resultado, o time voltou ao cenário nacional após três anos (2015-2017) fora do Brasileirão. O Jacaré estreou com vitória na Série D, no último dia 4, no Serejão, diante do Serra-ES: 1 x 0.

No dia a dia, Luiza dribla o preconceito. Não apenas por ser mulher mas também devido à pouca idade: 22 anos. “Pensam que ainda sou uma criança e que não dou conta do trabalho”, conta.

Desde os 3 anos Luiza frequenta os jogos do clube. “Eu entro no vestiário com os jogadores, converso com eles, acompanho todos os treinos”, relata.Luiza, que é vice-presidente e diretora de futebol, trabalha ao lado do presidente do time, Eduardo Ramos. Porém, todos os assuntos do clube passam pelo crivo dela, desde a confecção do material esportivo até as contratações e dispensas de jogadores.

Metrópoles 

Notícias relacionadas...

Mais notícias

Nossos Anunciantes