CBF trabalha protocolo para volta do futebol

27/05/2020
cbff2

Protocolo médico vem sendo trabalhado pela CBF para a retomada das atividades do futebol no país, que vem sendo projetada em alguns estados para o mês de julho.

O documento prevê credenciamento, em lista elaborada por médico de cada equipe, de no máximo 40 pessoas permitidas para o local de jogo – entre ônibus da delegação, uma van da rouparia e um veículo de passeio.

Será responsabilidade dos clubes conferir o estado epidemiológico de cada um que chega ao estádio, “com ênfase na condição olfativa e aferição de temperatura com termômetro de infravermelho”, como diz um trecho do documento. O regulamento para os clubes trata também de cuidados no vestiário. Cada um deve usar máscaras (ou “face shield”, aquela máscara com tampo de plástico na frente) e ficar o menor tempo possível dentro do vestiário – limite recomendado de 40 minutos.

ARBITRAGEM

A CBF, pretende fazer testes em todos profissionais envolvidos e quer o VAR em funcionamento em suas competições. A ferramenta foi aprovada no Conselho Técnico da Série A e conta com apoio particular do presidente Rogério Caboclo, defensor do sistema apesar dos custos envolvidos e de envolver maior número de pessoas dentro do estádio. Vai caber à Comissão de Arbitragem da CBF fazer seu inquérito epidemiológico para credenciamento da equipe de arbitragem.

IMPRENSA

O protocolo da CBF  prevê acesso ao campo a reduzido número de câmeras, ficando fotógrafos, jornalistas e radialistas, também em acesso reduzido, na tribuna de imprensa, respeitando distanciamento de dois metros para cada posição.

Cena comum na Alemanha, os jogadores vão falar para microfones pendurados em cabos de apoio de TV, sem a presença do repórter no gramado. As entrevistas coletivas serão virtuais, operadas por assessores de imprensa dos times.

PAÍS CONTINENTAL

Implementar um protocolo único para  federações e clubes eu penso que é praticamente impossível. Cada estado tem uma realidade diferente, cada clube – quantos terão condições de bancar testes que em média custam 200 reais – cada federação, cada comissão de arbitragem.

Se a CBF entende que o protocolo que ela está elaborando deve sr adotado por todos os os clubes que disputam as quatro divisões do Brasileiro e mais pelas equipes das duas divisões do feminino, a entidade deve ficar responsável pela aplicação de todas as exigências.

De toda maneira, a CBF sinaliza muito claramente que quer a volta do futebol, quer a conclusão dos Estaduais – fato já destacado por Walter Feldmann – e o cumprimento do calendário 2020, que certamente vai ser finalizado em 2021.

98 fm natal 

Notícias relacionadas...

Mais notícias

Nossos Anunciantes